Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de navegação. Ao navegar estará a consentir a sua utilização. Saiba mais
Notícias

28/Ago

- O cardeal do sorriso

A Sé da Guarda recebeu, a 15 de agosto, a apresentação do livro Quando a Igreja sorri –  biografia do cardeal Saraiva Martins. Foram muitas as pessoas que se associaram a este evento festivo em que se comemorou também o 30º aniversário de ordenação episcopal do prelado.
D. António Moiteiro, bispo de Aveiro, apresentou o livro e percorreu três períodos diferentes da vida do cardeal Saraiva Martins: a infância e os estudos para a ordenação e a carreira de professor e reitor da Universidade Urbaniana; o serviço na Cúria Romana; e a sua relação com Portugal e, de um modo particular, com a Guarda. Para D. António Moiteiro, o «fio de ouro que une os acontecimentos mais importantes» da vida do cardeal Saraiva Martins é «a sua ligação à terra que o viu nascer e ao país do qual se sente filho querido».
 
O bispo de Aveiro terminou a sua intervenção recordando o pontificado do Papa Francisco, que está «marcado pela alegria do ser cristão e discípulo de Jesus». É neste sentido que está o testemunho de vida do cardeal Saraiva Martins. «“O cardeal do sorriso” não será como que uma antecipação daquilo que o Papa Francisco pede à Igreja de hoje?», perguntou.
                
Na homilia da missa de ação de graças pelos 30 anos de ordenação episcopal do cardeal Saraiva Martins, D. Manuel Felício referiu que «os dez anos em que presidiu à Congregação romana para as Causas dos Santos foram de uma fecundidade verdadeiramente extraordinária». Para o bispo da Guarda, «essa fecundidade esteve não apenas no número de processos de beatificação e canonização conduzidos até ao seu termo, mas também nas novidades introduzidas nas formas e nos critérios de conduzir esses processos».
Presente na apresentação do livro e na celebração, o presidente da Câmara Municipal da Guarda, Álvaro Amaro, anunciou que o município irá atribuir a Medalha de Honra ao cardeal José Saraiva Martins, que passará a ser cidadão honorário desta cidade.

«Quando a Igreja sorri» - Guarda