Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de navegação. Ao navegar estará a consentir a sua utilização. Saiba mais
Notícias

11/Mar

- Exercícios espirituais do Papa Francisco na Casa Divino Mestre

A decisão surpreendeu. Mas o Papa Francisco, o jesuíta Bergoglio, não fez mais que aplicar à Cúria Romana um dos elementos chave da Companhia de Jesus: a meditação num lugar à parte, fora do ambiente de trabalho habitual. E em Ariccia, a Casa Divino Mestre, dos Paulistas, os editores de Família Cristã, tem todas as caraterísticas de um lugar apartado. Na zona dos Castelos romanos, diocese de Albano, rodeada por doze hectares de bosque, não é imediatamente notada por quem passa na estrada. Chega-se lá depois de se ter passado por um cancelo verde que dá para um estrada interna que se esconde pelo meio das árvores. É a única casa religiosa da zona, que tem muitíssimas que estão dedicadas exclusivamente a retiros espirituais. Não hospeda grupos de turistas para depois se deslocarem a Roma. Foi assim que a quis o beato Tiago Alberione.

Explica o padre Silvio Sassi, Superior Geral da Sociedade S. Paulo: «Vem-se para se rezar juntos, para tomar forças e vigor pela contemplação das principais verdades da fé». A escolha de Francisco surpreendeu até o Superior Geral: «A decisão do Papa consola-nos e para nós é um dom da Providência no ano centenário que lembra a fundação da nossa congregação». Estávamos em 1914 quando o beato Tiago Alberione, sacerdote de Alba, começou com a aventura dos Paulistas, sacerdotes e irmãos comunicadores do Evangelho. O beato Alberione quis com grande tenacidade a Casa de Ariccia dedicada ao Divino Mestre, o "primeiro mestre" da fé, a devoção principal Paulistas.

Porque, observa ainda o padre Silvio Sassi, «não bastam as obras se não se meditar com o Evangelho na força das obras». O Papa encontrará uma frase do beato Alberione logo á entrada da Casa de Ariccia, que explica o motivo por que foi construída: «Toda ela se destina á reconciliação e santificação das nossas almas, à reflexão e atualização dos mistérios e dos apostolados». Encaixa perfeitamente na escolha de Bergoglio e no sentido dos exercícios espirituais. O beato Alberione sublinhava a «grande alegria por nos voltarmos a ver, rezar e viver juntos, de nos encorajar mutuamente, de voltar a confirmar e repetir a nossa doação ao Senhor».


Isto é exatamente o que o Papa quer com os exercícios espirituais. A Casa dos Paulistas foi inaugurada há 55 anos. No parque, ou melhor, no bosque que a circunda, foram organizados dois percursos meditativos, quadros com esculturas de mármore que ilustram as estações da Via Sacra e os mistérios do rosário. É normalmente usada por muitas congregações religiosas masculinas e femininas para exercícios espirituais ou para reuniões de capítulos gerais. Com frequência, o pregador da Casa Pontifícia, padre Raniero Cantalamessa, se desloca para lá, para pregar os exercícios a diversos religiosos. A última vez foi há poucas semanas, a um grupo de irmãs.
                                                 
                                                                                                                               Alberto Bobbio / Famiglia Cristiana