Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de navegação. Ao navegar estará a consentir a sua utilização. Saiba mais
Notícias

13/Dez

- «As crianças da Europa falam ao Papa Francisco»

A PAULUS Editora e o Conselho das Conferências Episcopais da Europa (CCEE) lançaram o livro «As crianças da Europa fala ao Papa Francisco», uma publicação feita por crianças, que dedicaram desenhos e mensagens ao novo Papa, que contou com a colaboração de uma criança portuguesa, residente numa instituição de Braga. «Queríamos ter feito isto para a primeira audiência que tivemos com ele, mas não foi possível. Pensámos em mostrar o rosto entusiasmado da fé e ninguém melhor que as crianças para isso. Não abandonámos a ideia e pedimos a crianças de toda a Europa que enviassem as suas mensagens, porque elas mostram a comunhão que há na igreja», conta-nos o Pe. Duarte da Cunha, secretário da CCEE, que foi o orador convidado no lançamento do livro em Lisboa, na Fundação Maria Ulrich.

A escolha das crianças não foi aleatória, antes coincidente com as primeiras mensagens de Francisco. «A palavra que mais ouvimos nas primeiras mensagens do Papa foi "periferia". Por isso, quisemos que fossem crianças das periferias existenciais da Europa a escrever. São crianças institucionalizadas que, mesmo assim, não perdem a alegria», refere o sacerdote.

O Pe. Duarte da Cunha fala de um livro que se «lê bem», que deixa «um gosto e um amor ao Papa e a Jesus enorme». «Saímos com a consciência de que há uma série de crianças que sofrem muito, e é bom que a Igreja não se esqueça delas, e vá ter com elas e as abrace», afirma.

O Papa Francisco leu e assinou uma das cópias que lhe foi entregue, dedicatória que está presente no livro que está à venda. «O Papa recebeu, gostou, e devolveu uma cópia assinada onde pede que se reze por ele», diz o Pe. Duarte da Cunha.

 
Na apresentação esteve também Ana Sotto-Mayor Pinto, representante do Instituto de Apoio à Criança, instituição que receberá 1€ por cada um dos livros vendidos, que agradeceu o apoio financeiro que advirá da venda dos livros e elogiou o caminho que o Papa Francisco tem estado a traçar na Igreja.