Opinião

Síria: Porque não se acaba com este inferno?

12 de Abril de 2017

Na Síria, continuam as mortes, os ataques a escolas, hospitais. Adultos, crianças, idosos morrem todos os dias. Não me interessa quem é o culpado, se o regime de Assad, se os rebeldes, os Estados Unidos da América ou a Rússia… Quero que acabem as mortes e os ataques!

Segundo os dados da UNICEF, nunca morreram tantas crianças. Há seis anos que a guerra dura e, no ano passado, morreram, em média, duas por dia. A grande maioria estava perto ou dentro de escolas. As que sobrevivem são recrutadas para a guerra ou vivem em áreas de difícil acesso ou em cidades sitiadas.

O que temos que ver com isto? Tudo! Isto passa-se com pessoas como nós, com família como nós. E que fazemos? Que podemos fazer a tantos quilómetros de distância, nós cidadãos apenas?

Podemos ajudar financeiramente quem está no terreno, seja a UNICEF, as Nações Unidas, ou a Plataforma de Apoio aos Refugiados de Portugal que trabalha com refugiados sírios e outros em vários locais.

Outra forma é ajudar quem está na Síria e precisa de sobreviver. Um apoio quase direto é através do Qara - Handmade Syria. Aqui pode comprar peças de roupa feitas por mulheres de Qara, na Síria e ajudá-las a manter-se ativas e conseguir sustentar as suas famílias e manter os filhos na escola.

Podemos fazer ouvir a nossa voz. Uma forma de o fazer é assinar uma petição. A Amnistia Internacional pede à Organização das Nações Unidas que implemente o mecanismo de investigação de crimes de guerra e que os culpados sejam levados à justiça. A carta pode ser lida na íntegra e assinada aqui. Eu já o fiz. Se vai servir para alguma coisa, não sei. Mas sei que já não consigo ver as imagens que chegam da Síria e sei que precisamos de tomar consciência que são nossos irmãos. É preciso arregaçar as mangas.