Notícias

05/Dez

- O Tempo ao Sabor da Fé

O Tempo ao Sabor da Fé é o título da obra de D. Nuno Brás lançada pela PAULUS Editora, no auditório da Rádio Renascença. O livro é o resultado de uma seleção de textos publicados pelo bispo auxiliar de Lisboa no jornal diocesano A Voz da Verdade desde 1987 e surge, nas palavras do diretor-geral da PAULUS, Pe. José Carlos Nunes, depois de três insistências, tal como na parábola da viúva que se dirigiu e implorou por três vezes ao juiz para que lhe fizesse justiça, importunando-o e acabando por conseguir assim que este lhe concedesse o desejo.

Assim surge a obra publicada agora e que, de acordo com o diretor-geral da PAULUS, vai ao encontro daquela que é a nossa missão da PAULUS, «levar o Evangelho de forma simples, direta e refletida às pessoas.» Apresentado por Monsenhor Vítor Feytor Pinto, o livro é, na opinião do sacerdote, um apelo a «olhar o tempo numa igreja de portas abertas» e uma maneira de «acreditar que há mais-valias possíveis no mundo atual».

Assumindo-se como «um apaixonado pela catequese de adultos», o pároco do Campo Grande vê este livro como uma ferramenta de catequese que «não pode servir como livro de cabeceira» e sugeriu que o mesmo seja consultado antes de iniciar as tarefas do dia-a-dia, para que o que nele consta possa ser vivido e «para que a obra viva», defendeu.

Na sua exposição, Monsenhor Vítor Feytor Pinto foi ainda mais longe naquela que considera ser a vertente catequética do livro de D. Nuno Brás, traçando um programa alargado com aplicação futura na sua comunidade, indicou, de uma catequese de adultos, programa este concebido a partir dos capítulos e textos do livro de D. Nuno Brás.

Para o autor do livro, o último a intervir na apresentação, a ideia nunca foi a de escrever um livro, mas o que «é facto, é que depois de reler a escolha que a PAULUS fez, percebi que talvez pudessem ser retomados e fossem ainda inspiradores de uma leitura do tempo contemporâneo ao sabor da fé».D. Nuno Brás deseja, com esta obra, que as ideias nela contidas possam criar proximidade com o filho de Deus. «Pode ser que, lendo uma ou outra coisa, o leitor possa estar mais próximo de Cristo», desejou.