Opinião

O Papa vem aí. Como preparar a sua visita?

19 de Setembro de 2016

Foi a notícia mais fantástica, associada ao centenário das aparições, mesmo se ainda não for oficial da parte do Vaticano: o Papa Francisco vem a Portugal. Desde que se soube da possibilidade quase certa, começou em marcha todo um processo de preparação para a vida do Papa ao nosso país. Já não há alojamento em Fátima, as lojas devem estar a reforçar stocks para aquela altura do ano, e muitos dos devotos de Fátima que não estavam a fazer de contar de ir ao santuário no 13 de maio passaram a querer estar onde está o Papa.

São várias as formas de antecipar e preparar a vinda do Papa ao nosso país. Que presentes é que ele gostará? Qual o carro onde se irá deslocar? Vai querer visitar alguma instituição?

Nada sabemos, mas esta semana, em entrevista à Família Cristã, o cardeal Saraiva Martins, enviado do Papa ao congresso mariológico sobre o centenário das aparições, explicou o que Francisco espera encontrar no nosso país quando cá chegar, em maio do próximo ano.

E o que o Papa espera é tão simples e lógico, como difícil e utópico. «Pessoas que realmente estejam convencidas, que acreditem na Mensagem de Fátima, na sua urgência, e a manifestem». Tão simples, não é? E, no entanto, tão difícil.
Façamos um exercício simples, respondendo a estas questões: sabe quem é Nossa Senhora de Fátima? Sabe quantos são os segredos? Conhece o conteúdo? Sabe o que disse Nossa Senhora aos pastorinhos?

Se conseguir, honestamente, responder a estas questões, está preparado para receber o Papa. Mas como a esmagadora maioria dos católicos não está, este deverá ser o grande trabalho daqui até maio. O Papa pede que se estude e aprofunde a mensagem de Fátima, para que depois os cristãos possam sair à rua, falar dela e mostrar aos outros como a vivem na sua vida.
Sim, porque diz-nos também o Cardeal Saraiva Martins, «viver não é só falar, mas para celebrar dignamente, o único meio é aprofundar o que diz Nossa Senhora é ver se, na minha vida concreta do dia-a-dia, tenho em conta ou não o que Nossa Senhora disse».

Esta é sempre a parte mais difícil de ser cristão: transformar as nossas palavras bonitas em ações concretas, que dão trabalho, desinstalam, obrigam a abdicar de luxos e confortos.

Mais do que preparar grandes espetáculos para receber Francisco, isto é o que nos pede o Papa. Quantos das centenas de milhares de pessoas que irão encher o Santuário de Fátima estarão dispostos a fazê-lo?