Lançamento

16/Jan

Nossa Senhora na história de Portugal

Ficha Técnica

«A relação de Portugal com a Virgem Maria remonta às suas origens»
 Entrevista com D. Francisco Senra Coelho, bispo auxiliar de Braga, autor do livro  Nossa Senhora na história de Portugal.

  
O que o levou a escrever este livro?
Este livro aparece para ajudar os leitores a perceberem melhor a relação de Portugal com Nossa Senhora ao longo da sua História. Trata-se de uma recolha de artigos publicados no caderno cultural do jornal Diário do Minho e no jornal semanário A Defesa, por ocasião do ano pastoral 2016-2017, em que o Programa Pastoral da Arquidiocese de Braga viveu o Ano Mariano sob a proposta «Fé Contemplada», e o país e o mundo celebraram o primeiro centenário das aparições de Fátima. A recolha dos artigos jornalísticos teve a preocupação de os enriquecer, valorizando sobretudo a relação entre a devoção dos portugueses a Nossa Senhora e o património monumental religioso do nosso país.
 
A devoção a Nossa Senhora é bem mais antiga que Fátima, mas a verdade é que poucos reconhecem essa ligação…
Ao longo da sua História, Portugal recorreu várias vezes a Nossa Senhora, pedindo-lhe apoio e intercessão junto de Deus para que a nossa independência fosse garantida. Em 1917, foi Nossa Senhora que confiou a Portugal a missão de ser portador de uma mensagem para o mundo, a mensagem de Fátima.
 
Portugal sempre foi mariano, ou é Fátima quem lhe traz esse cunho?
Como vamos perceber pela leitura deste livro, a História de Portugal cruza-se incontornável e indelevelmente com o culto mariano.
Fátima é o epílogo de um longo caminho em que os portugueses vinham caminhando juntos com Nossa Senhora. A relação de Portugal com a Virgem Maria remonta às suas origens e conta com uma longa experiência pré-nacional.
 
O que é que gostava que os leitores guardassem, ao terminarem de ler o livro?
O contributo deste modesto livro vai no sentido de nos ajudar a perceber que a relação de confiança entre Portugal e Nossa Senhora vem de muito longe e é o contexto natural para o grande dom de Fátima.
Portugal preparou-se ao longo da sua História com uma vivência mariana tão intensa que lhe mereceu o título de Terra de Santa Maria, e foi este povo humilde e em hora muito difícil da sua História, devido ao rigoroso inverno, assumido pelas políticas antirreligiosas da Primeira República, que o Céu escolheu para a rica experiência espiritual e religiosa de Fátima.
 
As devoções marianas do país foram fortalecidas com as aparições de Fátima, ou enfraquecidas?
Fátima trouxe uma mensagem que nos leva de novo até ao Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo. A mensagem da Cova da Iria refrescou o cristianismo português, centrando-o no essencial da nossa Fé. Neste sentido contribuiu decididamente para valorizar todas as nossas devoções marianas, purificando-as de alguns elementos menos evangélicos e menos esclarecidos. O contributo de Fátima para a renovação da Fé e da Igreja em Portugal é evidente, nomeadamente pela vivência dos santuários marianos espalhados pelo país, que adquiriram novo vigor com o aprofundamento da relação do Povo de Deus com Maria, que a mensagem de Fátima apresenta e para a qual educa.
 
Porque é que importa conhecer este Portugal mariano pré-Fátima?
Espero que este livro nos mostre como a nossa História comprova a frase do Papa Francisco proclamada no passado dia 13 de maio em Fátima: «Temos Mãe! Temos Mãe!» Que a nossa esperança saia reforçada e rejuvenescida com a Luz que nos vem da História e comprova o desafio lançado pelo Santo Padre: se temos Mãe, somos um povo chamado à fraternidade que edifica na paz.