Notícias

13/Dez

- Ministro da Defesa apresenta livro sobre a paz e futuro da humanidade

O Ministro da Defesa manifestou algumas angústias éticas com que a área da defesa e das forças armadas se confronta. Em Lisboa, na apresentação do livro Paz e futuro da Humanidade, publicado pela PAULUS Editora, Azeredo Lopes deixou algumas questões para reflexão: «A pressão migratória e de refugiados, em Lampedusa, convoca ou não uma questão de defesa? O financiamento dessas redes é ou não uma ameaça à paz? As redes organizadas que promovem redes de tráfego de pessoas e que podem cobrar até 3 mil euros por pessoas?» A estas e outras questões éticas, o Ministro da defesa propõe uma resposta global. «Talvez devamos procurar resposta para estas angústias talvez na tal globalização pensando que promoveríamos a globalização como um bem para terceiros», disse.

O livro Paz e futuro da Humanidade inclui as atas de um seminário organizado por D. Manuel Linda, bispo das Forças Armadas e da Segurança, em maio de 2017 com o mesmo tema. O prelado reuniu militares, juristas, personalidades de outras igrejas cristãs e o Presidente da República. Está disponível em todas as livrarias e em www.paulus.pt.

Na apresentação da obra, o Ministro da Defesa, que também foi um dos oradores no seminário de maio, elogiou o bispo das Forças Armadas e da Segurança: «Com a persistência que o caracteriza conseguiu organizar o seminário e ter o arrojo de discutir este tema e ser capaz de promover o diálogo entre diferentes saberes e diferentes éticas, se assim se pode dizer.» No lançamento do livro com as atas dessa discussão, D. Manuel Linda deixou novo desafio. «O Concílio Vaticano II falava da aceleração da história. Que tal juntarmo-nos para reflectir sobre o domínio ético?» Está dado o mote para o próximo debate.



Paz e futuro da humanidade